Já anda sentindo os sintomas de desgaste do seu carro? Ou está querendo trocar pensando na desvalorização? O Consórcio Luiza fez uma listinha para te ajudar a descobrir se é a melhor hora para trocar seu carro.

– Manutenção: os carros começam a exigir mais manutenção depois de 3 anos de uso. Segundo especialistas, a melhor hora para vender é depois de 3 anos de uso ou com no máximo 60 mil km rodados, antes de fazer a revisão. A 3ª revisão é geralmente a mais cara, quando já está na hora de trocar pneus, correia dentada e amortecedores, por exemplo.

– Quilometragem: como viu, esse é um fator importante na hora de negociar seu usado. Quanto menor a quilometragem, mais vantagens na negociação. No entanto, se seu veículo já está passando dos 100 mil quilômetros rodados, talvez seja a hora de evitar uma desvalorização maior e paradas indesejadas na oficina.

– Motor: se você for um motorista um tanto descuidado com manutenções como: verificar água, fluido ou fazer a troca de óleo, seu motor começará a sentir o impacto de superaquecimentos e poderá ter seu funcionamento comprometido. Se o seu usado já anda apresentando esses sintomas de superaquecimento, mangueiras arrebentando ou água vazando do radiador, não espere muito tempo para trocá-lo.

– Danos físicos: batidas, pequenos amassados, arranhões e itens quebrados desvalorizam de maneira direta seu carro. Procure fazer o conserto dos danos assim que acontecer, e não deixar muita coisa por fazer. Se o veículo já passou por acidentes e muitos pequenos incidentes, não demore muito para fazer a troca.

– Parcelas pesando no bolso: você assumiu um financiamento a longo prazo e a sua situação financeira mudou, pesando no orçamento familiar. Talvez seja a hora de trocar seu carro por um mais barato e não se envolver numa dívida que pode dificultar ainda mais a situação financeira.

– Término da garantia: a maioria dos 0km fabricado e vendidos no Brasil têm garantia de fábrica de 3 anos ou no máximo 5 anos. Algumas pessoas preferem trocar o carro nessa época, mas vale lembrar que a garantia cobre apenas a manutenção com desgaste por falhas do fabricante. Manutenção de itens com desgaste natural não é coberta.

– Mudança das necessidades: se seu carro não está mais suprindo suas necessidades pessoais, é hora de começar a pesquisar outro. Se ele está pequeno para a família, se vai passar a ser usado para trabalho e você precisa de um modelo mais econômico ou confortável ou se você viaja muito e está precisando de um porta-malas maior, talvez seja hora de trocar seu usado.

– Desvalorização do mercado: fique atento aos sinais que o mercado dá! Modelos que saem de linha, lançamento de novas versões ou de séries especiais e outras ações das montadoras podem desvalorizar seu carro, independente do seu tempo de uso.

Vale lembrar que, apesar de existir o tempo ideal para evitar mais desgaste, desvalorização e gastos com manutenção, não existe nenhuma regra e você é a pessoa que melhor conhece seu carro, suas necessidades e possibilidades.

Se a sua situação financeira permitir ou se quiser aproveitar o 13º ou alguma renda extra para isso, pesquise seus modelos e marcas preferidos e gastos com seguro e IPVA antes de tomar sua decisão. Mas se você tem cuidado com o seu carro e não pode, no momento, arcar com os custos de um novo modelo, faça a revisão do seu carro e não faça loucuras que prejudiquem seu orçamento. É só se planejar e trocar mais pra frente.

E claro, conte com o Consórcio Luiza nessa conquista! Conheça nossos planos e veja como essa pode ser a opção mais econômica e descomplicada para trocar seu usado.