Com o assunto do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) em alta, todo mundo quer saber como utilizar e em quais condições ele pode ajudar no sonho da casa própria.

No Consórcio, o FGTS pode ser utilizado na compra da primeira moradia, e de acordo com Edna Honorato, diretora do Consórcio Magalu, é uma ótima opção para quem busca uma forma segura e vantajosa de comprar a tão sonhada casa própria.

E para ajudar você a realizar o seu sonho, vamos te explicar 6 regrinhas básicas da Caixa Econômica e do Banco Central que todo trabalhador deve saber sobre esse benefício:

Todos os documentos devem ter o mesmo titular

O nome que constar na conta do FGTS, junto à Caixa Econômica Federal, deve ser o mesmo do titular da cota de consórcio de imóvel e também do titular no contrato do imóvel que foi adquirido.

Ter no mínimo três anos de FGTS

Esta é uma exigência da Caixa Econômica Federal, lembrando que esse prazo deve constar em Carteira de Trabalho.

 Não ter outro imóvel no nome

O consorciado não pode em hipótese alguma, ter outro imóvel urbano em condição de moradia no nome.

Não ser titular de financiamento ativo de outro imóvel

O consorciado que já tiver um imóvel financiado em seu nome não poderá utilizar o FGTS em seu plano.

Ter parte de um imóvel

O consorciado pode ter até 40% da parte de um imóvel, desde que não more no local.

FGTS do cônjuge 

Caso o consorciado queira utilizar o FGTS do cônjuge, o mesmo deverá estar presente no contrato como coobrigado e o regime de casamento que deverá ser universal ou parcial de bens. No caso de união estável também poderá fazer o uso do FGTS, porém deverá haver uma Escritura Pública de União Estável registrada em cartório.

 

O FGTS pode ser utilizado para a compra da primeira casa própria, já que a finalidade desse benefício para habitação é permitir que o maior número de brasileiros possam ter acesso à moradia.

Se você se encaixa em todas as regras para utilização do FGTS, confira agora como utilizar o Fundo de Garantia para quitar o seu consórcio de imóvel:

Liquidar: é realizado um saque do FGTS para quitar 100% das parcelas restantes da cota.

Amortizar: o saque é realizado no valor devedor para quitar as parcelas já vencidas.

Pagar parte das parcelas:  O FGTS pode ser usado também, após a contemplação da carta de crédito, para diminuir o valor das parcelas em até 80%.

Viu só, o consórcio de imóvel é uma ótima opção para quem tem aquele FGTS retido há tempos e tem o sonho de sair do aluguel. Se ainda ficou alguma dúvida sobre o assunto, você pode entrar em contato com os nossos especialistas em qualquer Loja do Magazine Luiza ou através do Televendas, no 0800 940 3400. Aproveite e simule no site o plano que melhor se encaixa no seu sonho!